Campanhas políticas de 2002 consumiram R$ 830,4 milhões

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Nelson Jobim, despediu-se nesta quinta-feira da Corte. Jobim será substituído por Sepúlveda Pertence, que tomará posse como presidente na semana que vem. Em seu discurso, Jobim informou que os partidos políticos tiveram um gasto de R$ 7,21 com cada um dos 115,2 milhões de eleitores brasileiros. O valor é muito semelhante aos R$ 7 previsto em um projeto existente na Câmara propondo o financiamento público. Ao todo, as campanhas de 2002 consumiram R$ 830,4 milhões. Jobim voltou a defender o financiamento público das campanhas, mas disse que para que a mudança seja implementada é necessário fazer uma reforma política. "A campanha tem de ser partidária e não individual", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.