Campanhas 'atualizam' parlamentares com informes

Os comandos das campanhas dos dois principais pré-candidatos à Presidência da República, José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), montaram centrais de produção de informações para abastecer os parlamentares e lideranças envolvidas no debate da sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A munição para o embate é reforçada pelas assessorias dos partidos que sustentam as duas candidaturas.

AE, Agência Estado

07 Maio 2010 | 12h03

Os governistas recebem, diariamente, mensagens em suas caixas de correio eletrônico, com a reprodução de artigos e análises publicados pela mídia em defesa da pré-candidata petista e do PT e de ataques ao adversário. Nos e-mails dos deputados da base aliada, é comum o recebimento de matérias criticando a cobertura da imprensa, considerada sem equilíbrio.

Na oposição, uma linha da estratégia é orientar os parlamentares para apresentação de discurso afinado de temas relevantes da semana. Via e-mail, integrantes do PSDB, DEM e PPS têm recebido papers feitos pela campanha de Serra, em São Paulo, com sugestões de argumentos a serem explorados em entrevistas. A iniciativa já havia sido iniciada pelo partido, mas passou a ser reforçada após reunião dos líderes tucanos e de partidos aliados com o marqueteiro Luiz Gonzalez.

Na campanha de Serra, tem sido adotado envio de papers com briefings analíticos. Os textos não têm frequência definida.

Além dos papers de São Paulo, o PSDB, o Instituto Teotônio Vilela e o DEM têm procurado brifar parlamentares. "Assim todo mundo fala na mesma direção", anotou o líder do PSDB na Câmara, deputado João Almeida (BA). As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Mais conteúdo sobre:
eleição PSDB PT artigos campanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.