Campanha quer combater violência doméstica contra crianças

Uma campanha nacional de alerta contra a violência doméstica, que atinge cerca de 300 mil crianças por ano no País, será lançada no próximo sábado pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Na TV, será exibido um filme publicitário com desenhos de jovens retratando maus tratos e ameaças sofridas dentro de casa e narração do ator Thiago Lacerda, padrinho do projeto.As ilustrações foram feitas por crianças e adolescentes que freqüentam a Vila Olímpica da Mangueira, na zona norte do Rio. Numa delas, aparece um pai dizendo para a filha, possivelmente depois uma agressão ou abuso sexual: "Se você contar para alguém eu te mato". Outro mostra a frase "Criança jogada no lixo". O texto do filme diz: "A violência pode ser prevenida. Procure ajuda."Para a SBP, a violência está tanto nos lares de famíliares de baixa renda quanto nos de classe média, mas quem tem mais dinheiro consegue esconder os casos. "Os mais pobres estão menos protegidos. A classe média manda os filhos para clínicas particulares e ninguém fica sabendo", disse o médico Aramis Lopes, do Departamento de Segurança da entidade. Pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, os profissionais da área de saúde têm obrigação de comunicar aos conselhos tutelares ou ao Juizado da Infância e Juventude qualquer suspeita de agressão contra um menor.Dados do Ministério da Saúde de 1999 mostram que as chamadas causas externas - violência e acidentes - são a primeira causa de morte entre brasileiros de 5 a 19 anos, com 18.215 óbitos. Os dados não foram atualizados, segundo Aramis Lopes. Para ele, o Brasil só começou a se preocupar com a violência contra crianças e adolescentes praticada em casa recentemente.O sábado foi escolhido para o lançamento da campanha por ser o Dia do Pediatra e o aniversário de 92 anos da SBP. Entre os objetivos da entidade está estimular quem souber de casos de violência a denunciar os agressores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.