Campanha no rádio e na TV incentiva teste de aids

O ministro da Saúde, Humberto Costa, lançou nesta quinta-feira a campanha publicitária "Fique Sabendo" para incentivar a população a fazer testes de aids. O governo decidiu adotar a medida diante do cálculo de que há cerca de 400 mil dos 600 mil brasileiros infectados pelo vírus HIV que não sabem ser soropositivos. Veiculada no rádio e na televisão de 1º a 18 de novembro a campanha vai custar R$ 7,5 milhões. Uma das preocupações do Ministério da Saúde foi direcionar parte da propaganda no rádio e televisão para os casais, pois o número de mulheres contaminadas pelos parceiros tem crescido a cada ano. "Se transar sem camisinha faça o teste de aids. Casamento não é garantia de proteção", diz uma das peças publicitárias. Segundo o ministro da Saúde, a campanha mostrará que não há razão para se assustar diante de um diagnóstico positivo. "O importante é que as pessoas fiquem sabendo que são soropositivas, até porque atualmente a perspectiva de tratamento é positiva." O governo quer conscientizar a população de que a realização dos testes anti-HIV é uma decisão pessoal e não pode haver constrangimento na na realização do exame. "Ninguém pode obrigar a fazer o teste. Há uma legislação que defende esse direito", afirmou Humberto Costa. Até 2006 o governo quer ampliar de 1,8 milhão para 4,5 milhões o número de testes feitos anualmente pela rede pública de saúde. Para isso, gastará anualmente R$ 49 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.