Campanha do TSE recomenda investigar candidatos

Começa amanhã em todo o País a divulgação da tradicional campanha da Justiça Eleitoral de esclarecimento e conscientização do eleitor sobre as eleições gerais. Os 26 filmes e comerciais de rádio não mencionam a nova Lei da Ficha Limpa, mas recomendam, expressamente, a pesquisa da vida pregressa dos candidatos e a escolha de nomes que tenham bons antecedentes.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

30 Julho 2010 | 19h47

A campanha começa com pronunciamento oficial do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski, que vai ao ar amanhã, às 20h30, em cadeia nacional de rádio e televisão. A partir de então, emissoras de rádio e tevê terão de reservar 10 minutos diários para exibir as peças publicitárias até 3 de outubro, primeiro turno das eleições.

A campanha tira dúvidas sobre o voto em trânsito, a digitação dos números dos candidatos nas urnas, e recomenda o uso das "colinhas" para reduzir o tempo gasto nas cabines de votação. Um dos filmes lembra que, pela primeira vez, o eleitor terá de comparecer à seção com o título eleitoral e carteira de identidade com foto, para atender à exigência da minirreforma eleitoral, aprovada em 2009.

Outra novidade lembrada pelos filmes é a possibilidade de o eleitor votar para presidente e vice-presidente da República mesmo se não estiver em seu domicílio eleitoral. A campanha esclarece as providências que o eleitor tem de tomar para garantir a prerrogativa no dia das eleições.

Uma pesquisa qualitativa encomendada pelo TSE mostrou que a maioria do eleitorado desconhece as funções dos ocupantes dos cargos eletivos. Assim, uma série de filmes vai detalhar as atribuições dos deputados estaduais, federais, senadores, governadores de Estado e do presidente da República.

Mais conteúdo sobre:
eleiçãocampanhaTSE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.