Campanha de divisão do Pará vira 'ringue'

Os grupos separatistas que defendem a criação dos Estados de Carajás e Tapajós comemoraram discretamente a atitude do governador do Pará, Simão Jatene (PSDB), que ontem voltou a se colocar no centro do debate político sobre a divisão do Estado, tema que será alvo de plebiscito no próximo domingo.

AE, Agência Estado

07 de dezembro de 2011 | 10h05

Jatene, que obteve direito de resposta no horário de propaganda das frentes separatistas, apareceu em rede estadual de rádio e TV fazendo críticas indiretas ao marqueteiro Duda Mendonça, que comanda a propaganda do "sim", pela divisão do Pará. Sem citar nomes, o governador disse que "vendedores de ilusões sem identidade" tratam o povo paraense como "galos de rinha". Em 2004, Duda Mendonça chegou a ser detido pela Polícia Federal por seu envolvimento em rinhas de galo.

Nos últimos dias, diante da dificuldade de conquistar eleitores em Belém e arredores - a região mais densamente povoada do Pará -, o marqueteiro decidiu centrar críticas ao governador e associá-lo à campanha do "não". A ideia é capitalizar a rejeição que Jatene sofre na capital e na região metropolitana, levando os moradores a votar "sim" no plebiscito como forma de impor uma derrota ao governador. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
PARÁPLEBISCITO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.