Campanha de Dilma nega que pré-candidata tenha falado em mexer na Previdência

Segundo nota divulgada nesta terça, 1º, a pré-candidata apenas comentou a questão do bônus demográfico no Brasil

Estadão.com.br

01 de junho de 2010 | 20h06

A campanha da pré-candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff (PT), divulgou nota nesta terça-feira, 1º, afirmando que a candidata não fez referência a mudanças no sistema previdenciário durante o Fórum Exame, que aconteceu em São Paulo na segunda-feira, 31 de maio. Segundo a nota, a pré-candidata apenas comentou a questão do bônus demográfico no Brasil.

 

Veja também:

Serra critica câmbio; Dilma fala em mexer na Previdência

 

Leia a íntegra da nota:

 

Ao contrário do que está sendo veiculado hoje nos meios de comunicações, a pré-candidata do PT, Dilma Rousseff, não fez referências a mudanças no sistema previdenciário na ao final do Fórum Exame, em São Paulo. O evento ocorreu ontem (31).

 

Ela apenas comentou a questão do bônus demográfico no Brasil que é o número maior de pessoas em idade ativa no mercado de trabalho do que o total de aposentados e de crianças na população. A seguir, a transcrição da fala da ex-ministra Dilma Rousseff:

 

"Temos uma coisa que é uma vantagem, que é o bônus demográfico. O tal do bônus demográfico nada mais é do que isso. Sua população em idade ativa em idade de trabalhar é maior que sua população dependente, jovem criança e velha, mais da terceira idade. A terceira idade tá ficando difícil, a gente vai ter que estender ela pra lá. Isso significa que mais jovens vão estar trabalhando para o desenvolvimento do país."

 

Durante a entrevista coletiva, Dilma foi indagada sobre o trecho do discurso em que mencionou o bônus demográfico no Brasil.

 

"Era para mim, eu falei pra mim. Eu fiz uma brincadeira comigo mesma. Agora, eu acho sempre que vai sempre ter de olhar a questão etária do país e tomar providencias. Mas eu não tratei desse assunto. Eu fiz uma brincadeira porque eu não tenho vergonha de dizer, porque são muito bem vividos. Eu tenho 62 anos e estou indo para 63. Eu estou indo para 63 e eu nasci em final de 47. Vou fazer 63 no final desse ano, ah tirar um ano de mim não", respondeu aos jornalistas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.