Campanha contra o câncer de mama dá ênfase ao auto-exame

Sete em cada dez portadoras de câncer na mama no Brasil já apresentam a doença em estágio avançado quando ela é diagnosticada nos hospitais e centros de saúde. A informação é de Maria Elizabeth Mesquita, integrante da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), entidade que está lançando a 3ª Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Mama, que dará ênfase à importância do diagnóstico precoce, por meio do auto-exame. ?É mais barato, fácil e tem a vantagem de identificar a doença no seu estágio inicial, o que aumenta as possibilidades de cura?, afirma a médica.Apesar da redução dos casos de óbito, Maria Elizabeth diz que o quadro ainda é preocupante. ?O câncer de mama é o tipo que mais mata mulheres no Brasil?, afirma. De acordo com as estatísticas disponíveis, são 35 mil novos casos a cada ano, com média anual de 8 mil mortes. Esse número, segundo a presidente da SBM, já foi maior.Ela afirmou que as campanhas de esclarecimento sobre a prevenção da doença estão fazendo com a média brasileira acompanhe a tendência de queda nos casos de morte em todo mundo. Além de cartazes e camisetas, está sendo veiculado em todas as emissoras de TV um filme publicitário da campanha ?Fique de Olho?, estrelado pela atriz Cássia Kiss.De acordo com a médida, embora os casos mais graves estejam concentrados entre a faixa etária de 45 e 55 anos, é aconselhável que meninas a partir de 17 anos façam regularmente o toque. A médica explica que a eficácia do auto-exame é justamente para identificar qualquer alteração na mama, e não fazer o diagnóstico conclusivo. ?Por isso, o auto-exame deve começar a ser feito cedo, para que as meninas possam ir conhecendo suas mamas?, diz.Maria Elizabeth afirma que as mulheres estão mais esclarecidas quanto à importância da prevenção ao câncer de mama. Ressalta, no entanto, que ainda existe muita resistência em todas as classes sociais. O motivo, diz, é o medo que as mulheres ainda têm da mastectomia (cirurgia de retirada dos seios). ?É importante esclarecer que, quanto mais rápido for a identificação da doença, menos doloroso será o tratamento, inclusive, com quimioterapia?, afirma.Ela destaca que as mulheres não devem ter medo, e esse também será o apelo feito pela Sociedade Brasileira de Mastologia nas peças publicitárias da campanha, que é uma iniciativa independente da instituição, com apoio da iniciativa privada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.