Everaldo Silva/Futura Press
Everaldo Silva/Futura Press

Caminhoneiros desmobilizam nos últimos 3 Estados e encerram protestos nas rodovias

Segundo o Ministério de Infraestrutura, últimos pontos de concentração no RS e em SC e RO não apresentam mais ameaças de bloqueios; toda a malha rodoviária federal está aberta para o livre fluxo de veículos de carga

Amanda Pupo, O Estado de S.Paulo

10 de setembro de 2021 | 09h04

BRASÍLIA - O Ministério da Infraestrutura informou nesta sexta-feira, 10, que os últimos pontos de concentração em rodovias, que acontecem em três Estados (Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Rondônia), não apresentam mais ameaças de bloqueios parciais ou totais e caminham para a desmobilização total. Toda a malha rodoviária federal está aberta para o livre fluxo de veículos de carga, afirmou a pasta em boletim das 17h30.

Mais cedo, às 7h30, o ministério informou que nos Estados de Mato Grosso do Sul, Goiás, Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santos e Paraná não há mais qualquer ponto de retenção nas rodovias. Já no Mato Grosso e Pará havia aglomerações sem prejuízo ao fluxo de veículos. O boletim das 17h30 foi o útimo divulgado pelo governo sobre a situação dos protestos nas estradas.

Um dos principais líderes dos protestos, Zé Trovão (que está foragido da Justiça) divulgou um novo vídeo na tarde desta sexta-feira em que declara o fim da paralisação de caminhoneiros, que em seu ápice bloqueou rodovias em ao menos 16 Estados.  Na maioria dos locais, apenas carros pequenos, veículos de emergência e cargas de alimentos perecíveis tiveram o trânsito liberado pelos manifestantes.

Este é o quarto dia de manifestações promovidas por caminhoneiros que são a favor do governo do presidente Jair Bolsonaro e contra os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

O presidente Jair Bolsonaro gravou um áudio pedindo aos caminhoneiros que liberem as estradas do País. Na gravação, Bolsonaro diz que a ação "atrapalha a economia" e "prejudica todo mundo, em especial, os mais pobres". Nesta quinta, ele se reuniu com caminhoneiros.

Nesta sexta-feira, após cinco dias, caminhoneiros deixam Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Ainda há alguns caminhoneiros no local, mas, de acordo a Secretaria de Segurança Pública do DF, eles estão saindo voluntariamente e a previsão é que a área esteja totalmente desocupada até o final de hoje, às vésperas do ato contra o governo, marcado para domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.