Camata fala em ''''gay cívico''''

Ao avaliar ontem a absolvição de Renan Calheiros (PMDB-AL), o senador Gerson Camata (PMDB-ES) criticou a atuação do seu partido - "está uma vergonha" -, do PT - "pela habilidade genial com que conseguiu começar a extinção do Senado" - e do aparecimento do "gay cívico", referindo-se aos seis senadores que se abstiveram. Não citou nomes, mas entre eles está o senador Aloizio Mercadante (PT-SP)."Gay cívico é o senador que não vota nem sim nem não, opta pelo armário", justificou Camata. ''''Ele é meio-termo, está no meio. Além de se esconder na covardia vergonhosa da votação secreta, se esconde na abstenção. Não está nem para lá nem cá, é coluna do meio." acrescentou. O senador disse que não tem intenção de atingir os homossexuais. "Não quero ofender os gays."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.