Câmara vai precisar de tempo para discutir autonomia do BC, diz Alves

Presidente da Casa diz que a matéria que o senador Renan Calheiros pretende colocar em votação ainda este ano, deve ser discutida

Ricardo Della Coletta , O Estado de S. Paulo

28 Outubro 2013 | 22h20

Brasília - O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), disse nesta segunda-feira, 28, que a Casa "precisaria de tempo" para discutir o projeto de lei que dá autonomia e mandato ao presidente do Banco Central.

"Uma decisão como essa precisaria amadurecer", afirmou ao Broadcast Político, descartando que o projeto possa ser votado ainda em 2013 em Plenário pelos deputados, caso aprovado pelo Senado.

Na sexta-feira passada, 25, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou que pretendia votar em plenário, ainda neste ano, um projeto relatado pelo senador Francisco Dornelles (PP-RJ) que prevê um mandato de seis anos para o presidente do Banco Central, com a possibilidade de uma recondução.

Ainda pelo texto, as nomeações para o cargo pelo presidente da República precisariam passar por sabatina e votação secreta no Senado. O mesmo valeria para casos de demissão, que também precisariam passar pelo crivo de senadores e que precisariam ser justificadas pelo Executivo.

Henrique Alves disse que a matéria trata de um "assunto complexo" e ressaltou ser importante que próprio BC seja ouvido. Embora tenha dito que não discutiu com Calheiros prioridade para a matéria na Câmara, ele afirmou que, uma vez aprovada no Senado, ela teria "imediata repercussão na Casa".

Caso seja aprovado pelos senadores, o projeto ainda precisa passar pela Câmara. Lideranças ouvidas mais cedo pelo Broadcast Político afirmaram desconhecer o teor do projeto e disseram que ele está "fora do radar" da Casa.

Mais conteúdo sobre:
RenanBanco centralCongresso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.