Câmara vai debater obrigatoriedade da "Voz do Brasil"

A obrigatoriedade de transmissão da Voz do Brasil por todas as emissoras de rádio do País, de segunda a sexta-feira, entre 19 e 20 horas, será tema de seminário a ser aberto nesta terça-feira, às 9 horas, pelo presidente da Câmara, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), no Auditório Nereu Ramos. Promovido pela Câmara, o evento terá a participação de acadêmicos e representantes do jornalismo governamental e de entidades de comunicação nacionais e estrangeiras.O tema, que vem suscitando discussão pública desde 1985, será debatido em três painéis temáticos, a partir das 9h30. Segundo a assessoria de imprensa da Câmara, o assunto já foi objeto, também, de mais de 60 projetos de lei, sendo que um deles, de autoria da deputada Perpétua Almeida (PCdoB-AC), defende a obrigatoriedade, porém com flexibilização do horário para o período das 19h à meia-noite.AudiênciaSegundo a assessoria de imprensa da Câmara, a Voz do Brasil é o programa mais antigo do rádio brasileiro. Uma pesquisa do Instituto DataFolha, feita em dezembro de 1995, concluiu que 88% dos brasileiros com idade acima de 16 anos conhecem a Voz do Brasil. Mais da metade deles aprova a obrigatoriedade de transmissão.A mesma pesquisa mostrou também que a audiência do programa é maior nas regiões Nordeste e Centro-Oeste do País, onde dois terços dos entrevistados ouvem o programa regularmente, o que permite traçar um perfil do ouvinte: o brasileiro mais humilde, distante dos grandes centros urbanos, das facilidades tecnológicas da comunicação e da informação político-administrativa.No ar desde 1935, nos primeiros 25 anos o programa divulgava apenas atos do Poder Executivo. Em 1962, também o Congresso Nacional passou a integrar o noticiário. A partir daquele ano, o Senado e a Câmara dividiram a segunda meia hora do programa. Foi quando o programa passou a chamar-se Voz do Brasil. Hoje, o programa contém também uma parte do Judiciário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.