Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Câmara troca carpetes de áreas nobres da Casa ao custo de R$ 1,4 milhão

Última troca tinha sido feita no ano de 2011; como os carpetes são de cores que não fazem parte da linha normal de produção, fabricantes exigiram quantidade mínima para colocar em produção

Mariana Haubert, O Estado de S.Paulo

08 de março de 2019 | 14h01

BRASÍLIA - Ícone da Câmara dos Deputados, o Salão Verde da Casa passou por uma renovação nesta semana. O carpete da cor que dá nome ao local foi substituído por um novo. O salão é o principal espaço de circulação de deputados, jornalistas, turistas e demais pessoas que diariamente transitam pelo Congresso. A última troca havia sido feita em 2011. 

Além do Salão Verde, a Casa também está trocando os carpetes da galeria superior e das tribunas do Plenário Ulysses Guimarães e do túnel de ligação entre os prédios dos anexos 2 e 4 da Câmara. O revestimento do interior do plenário também faz parte do serviço de substituição dos revestimentos, mas será feito posteriormente, de acordo com informações da assessoria de imprensa da Câmara.

A obra custará no total R$ 1,48 milhão aos cofres da Casa. Ainda segundo a assessoria, como os carpetes são de cores que não fazem parte da linha normal de produção, os fabricantes exigiram uma quantidade mínima para colocar em produção.

A Casa informou ainda que "o revestimento do piso das áreas que estão em obras estava bastante deteriorado, sem possibilidade de recuperação". "A escolha da manutenção do carpete em manta foi feita por conservar a aparência existente, ter fácil instalação e propriedades acústicas, uma vez que se tratam dos espaços mais nobres da Câmara do Deputados, com grande circulação de pessoas e equipamentos de imprensa", diz a assessoria. 

A Câmara alega também que a intenção da obra neste momento é preservar a segurança das pessoas que circulam nos locais, dar condições de usabilidade aos prédios do Congresso prolongando sua vida útil, evitar despesas "inoportunas" posteriormente, além de obter economia já que o carpete foi comprado em grande quantidade. 

Mais conteúdo sobre:
Câmara dos Deputados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.