Câmara suspende votações após morte de Alencar

Presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), manifestou solidariedades à família do ex-presidente; comissões da Casa também adiaram reuniões previstas para esta terça

Denise Madueño, da Agência Estado

29 de março de 2011 | 15h58

Brasília - O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), suspendeu as votações desta semana em razão da morte do ex-vice-presidente José Alencar, na tarde desta terça-feira, 29. Maia manifestou solidariedade à família, ressaltou a luta de Alencar pela queda dos juros e a fidelidade ao ex-presidente Lula.

Veja também:

link Alencar morre aos 79 anos em São Paulo

link Empresário, José Alencar lutou por juros mais baixos no Brasil

link Leia a última entrevista do ex-vice ao 'Estado'

Marco Maia afirmou que o Brasil perdeu um "guerreiro, um lutador, que mostrou garra e resistência enormes". "Ele compactua com o que é o povo brasileiro, que busca energia aonde não tem. O vice-presidente foi a representação do que é a energia do povo brasileiro. Estamos perdendo uma pessoa que construiu sua vida com patriotismo, com amor à Nação e que orgulha a todos nós".

 

Maia disse que todas as vezes que Alencar defendia a queda dos juros falava com sentimento patriótico porque sabia que isso representaria o crescimento do País. "Ele foi sempre muito fiel ao presidente Lula e mostrava uma capacidade enorme de abrir mão de suas convicções para defender as convicções mais importantes para o País".

 

Não haverá votações mais na sessão desta tarde da Câmara, que será realizada para discursos de deputados que queiram homenagear Alencar e manifestar solidariedade à família. Amanhã, também não haverá votações. A pauta da semana foi transferida para a próxima terça-feira. Maia afirmou que as informações preliminares são de que o corpo de Alencar será velado no Palácio do Planalto.

 

Pauta. Por conta da morte de Alencar, a Comissão Especial da Reforma Política da Câmara cancelou a reunião prevista para esta tarde. No encontro, parlamentares discutiriam os modelos de sistemas eleitorais. A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) também cancelou a reunião, transferida para esta quarta-feira, 30.

Com informações da Agência Câmara

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.