Câmara só deve votar Fundo Social depois das eleições

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), afirmou nesta tarde que a votação do projeto que cria o Fundo Social da exploração de petróleo da camada pré-sal e estabelece o sistema de partilha da produção só será votado na Câmara após as eleições. "A oposição está em obstrução e falta quórum", disse o líder, após deixar o gabinete do presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), onde participou de reunião com os líderes da oposição.

LEONARDO GOY, Agência Estado

06 Julho 2010 | 16h31

A oposição na Câmara não abria mão de votar, antes do pré-sal, o destaque do DEM à emenda 29, que regulamenta o financiamento à saúde. O destaque dos Democratas elimina, na prática, a cobrança da Contribuição Social para a Saúde (CSS), imposto que o governo quer criar para substituir a CPMF. "Não tem mais acordo com a oposição. Eles estão fazendo obstrução violenta. Nesse período, é difícil ter deputado aqui", disse Vaccarezza, afirmando que hoje há, no máximo, 200 parlamentares na Casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.