Câmara será reformada para atender deputados deficientes

A partir desta sexta-feira, 18, o plenário da Câmara dos Deputados entrará em reforma para facilitar o acesso de parlamentares com deficiência e dificuldades de locomoção. Na atual legislatura, quatro parlamentares não conseguem discursar na tribuna ou presidir a sessão devido à inacessibilidade da área. As obras do plenário ficarão prontas em dois meses.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

17 de julho de 2014 | 16h48

De acordo com o projeto, a Mesa onde fica o presidente da sessão será rebaixada em 30 centímetros e serão instaladas rampas nos dois lados, facilitando o acesso às tribunas. A proposta é de 2006 e na época foi submetida à aprovação do arquiteto Oscar Niemeyer. Segundo a Diretoria Geral da Câmara, a reforma será feita por funcionários da manutenção da Casa e custará aproximadamente R$ 10 mil. A reinauguração do plenário está prevista para o final de setembro.

Quando voltarem do recesso branco, os deputados se reunirão em sessões plenárias no auditório Nereu Ramos, dentro do complexo do Congresso Nacional. O auditório - que tem capacidade para 350 lugares - passa por adaptações e implantação do painel de votações para receber as sessões do esforço concentrado da primeira semana de agosto.

O obra só pode ser executada agora devido ao recesso (até o final de julho) e a redução do ritmo de trabalho na Casa em decorrência da campanha eleitoral nos Estados.

Tudo o que sabemos sobre:
Câmaradeficientes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.