Câmara rejeita pedido para adiar votação da MP 183

O plenário da Câmara rejeitou, pouco depois das 13 horas, requerimento formulado pela oposição para que fosse adiada a votação da Medida Provisória 183, que trata do fim do crédito presumido do setor de agronegócio e isenta produtos da cesta básica da Cofins e do PIS-Pasep. O governo quer votar a MP com ou sem consenso, mas ainda estão sendo feitas negociações em relação ao texto. O deputado Walter Feldman (PSDB-SP) disse que vai apresentar ao governo algumas propostas de modificação para reduzir a taxação do PIS e da Cofins que, segundo ele, vêm aumentando a carga tributária. Ele deu como exemplo o aumento da carga tributária com a taxação dos combustíveis pela Cofins, de 5,08% para 7,6%, ocorrida quando uma MP regulamentou o fim da cumulatividade na sua cobrança. O mesmo, segundo ele, ocorre com a energia elétrica. "Estes aumentos têm impacto sobre a inflação, e o governo precisa discutir isso", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.