Câmara recebe documento contra propaganda de bebida

Representantes do Movimento ''Propaganda sem Bebida'' entregaram ontem ao presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT), um abaixo-assinado com mais de 600 mil adesões, pedindo a aprovação do projeto de lei que reduz de 13 graus para 0,5 graus na escala Gay-Lussac o teor alcoólico para que uma bebida seja considerada alcoólica para efeitos legais. Assim, a propaganda de produtos como cerveja e vinho teria a veiculação proibida das 6 horas às 21 horas.O Movimento ''Propaganda sem Bebida'' existe desde 2004 e é coordenado pela Universidade Federal do Estado de São Paulo (Unifesp) e pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp). Participam do movimento mais de 300 entidades, a maioria ligada às áreas de saúde, defesa do consumidor e proteção à criança e ao adolescente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.