Câmara quer reabrir processos contra mensaleiros e sanguessugas

O corregedor geral da Câmara Federal, deputado federal Ciro Nogueira (PP-PI), revelou que a mesa diretora vai reabrir os processos contra os deputados que foram acusados por irregularidades e foram reeleitos. Ciro Nogueira informou que a intenção da mesa diretora da Câmara é manter vivo os processos que foram abertos contra os deputados que foram acusados. Mesmo sendo outra legislatura, as acusações e denúncias devem continuar e os reeleitos podem ainda responder novamente pelas irregularidades cometidas no mandato anterior.Ciro Nogueira comentou que os processos contra os deputados que renunciaram para escapar de uma eventual cassação, podem ter o processo retomado nesta nova legislatura. Pelo menos este é o entendimento da mesa diretora que estuda a forma de fazer isso.O corregedor disse que não pode abrir processo contra os deputados que ainda não foram empossados e nomeados. "Eu nem pretendo ser candidato a corregedor novamente na próxima legislatura. É uma função muito espinhosa. É duro agir contra os deputados", comentou o deputado piauiense.São 55 deputados que foram acusados de irregularidades com o envolvimento com o mensalão, participar da máfia dos sanguessugas, ou que respondem a inquérito ou processo na Justiça por algum tipo de crime. O Conselho de Ética estava investigando outros sete parlamentares que supostamente participaram do esquema de caixa 2 atribuído ao PT. De 63 deputados acusados na máfia das ambulâncias, apenas doze conseguiram a reeleição. Alguns deputados acusados de outros crimes ainda estão sendo investigados pelo Conselho de Ética. Eles poderão ser cassados no novo mandato.Este texto foi alterado às 17h01 para correção de informação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.