Câmara quer ouvir ex-membro das Farc suspeito de elo com governo

A Comissão de Relações Exteriores daCâmara aprovou uma audiência pública para ouvir o ex-padreOlivério Medina, que foi integrante das Forças ArmadasRevolucionárias da Colômbia (Farc) e é suspeito de atuar comoelo entre a organização e autoridades do governo brasileiro. A data do depoimento não foi marcada e, por tratar-se de umconvite, Medina tem o direito de não comparecer, informou aCâmara. O suposto vínculo foi noticiado em julho pela revistacolombiana Cambio, com base em 85 e-mails que teriam sidotrocados entre Medina e o ex-líder das Farc Raúl Reyes, mortoem março. As mensagens teriam sido trocadas entre 1999 efevereiro de 2008. Nos e-mails seriam citados contatos entre as Farc e membrosgraduados do governo brasileiro, do PT, de líderes políticos edo Judiciário. Os e-mails teriam sido encontrados noscomputadores de Reyes. Medina vive no Brasil desde 1997 e ganhou a condição derefugiado político em 2006. Tem mulher e filha brasileiras. Para o deputado Raul Jungmann (PPS-PE), autor do pedido deaudiência, o depoimento vai mostrar se há desrespeito à leibrasileira que impede a atividade política de refugiados nopaís. Ele quer esclarecer também se Medina tem de fato relaçõescom autoridades brasileiras e se os e-mails são verdadeiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.