Câmara pagou passagens para 117 ex-parlamentares

Desse grupo, 28 ex-deputados usaram a cota mais de 20 vezes e emitiram um total de 896 bilhetes com destinos nacionais em 2007

João Domingos, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

29 de abril de 2009 | 00h00

Mesmo depois do fim de seus mandatos, em fevereiro de 2007, pelo menos 117 ex-deputados tiveram passagens aéreas pagas pela Câmara no período de fevereiro a dezembro de 2007. Desses, 28 usaram a cota mais de 20 vezes e emitiram um total de 896 bilhetes com destinos nacionais. A lista é encabeçada por Almeida de Jesus (PR-CE), com 81 voos, Hamilton Casara (PSDB-RO), com 57 passagens, e Miguel de Souza (PR-RO), com 56, de acordo com levantamento feito pelo site Congresso em Foco.A relação dos 28 que mais usaram o benefício, mesmo sem mandato, inclui o presidente nacional do PPS, Roberto Freire (PE), o ex-ministro dos Esportes Agnelo Queiroz (PT-DF), atual diretor da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o atual vice-governador de Mato Grosso do Sul, Murilo Zauith (DEM), e o ex-deputado e hoje advogado Luiz Eduardo Greenhalgh (PT-SP).Queiroz, ex-deputado pelo PC do B, hoje no PT, justificou-se. Disse que os voos são originários de créditos da Gol não utilizados. Ele disse que em janeiro de 2007, último mês de seu mandato, chegou a devolver parte do dinheiro referente à cota de passagens aéreas a que tinha direito, mas outro montante já estava registrado na companhia aérea, o que impossibilitaria o ressarcimento aos cofres públicos. Para ele, os recursos não devolvidos pertencem a ele, não à Câmara. "Eu tinha crédito, já era meu, não era da Câmara", afirmou.Por meio de sua assessoria, Freire disse que as passagens foram utilizadas "conforme prática generalizada na Câmara, já que as cotas permaneciam em nome dos parlamentares".Quatro ex-parlamentares não viajaram com as cotas, mas transferiram todas as passagens para familiares e terceiros: José Divino (sem partido-RJ), Remi Trinta (PR-MA), Jorge Gomes (PSB-PE) e Reinaldo Gripp (PP-RJ). SANGUESSUGASDe acordo com o levantamento, entre os que mais usaram o benefício da Câmara estão sete ex-deputados denunciados pela CPI dos Sanguessugas em 2006: Almeida de Jesus (PR-CE), Neuton Lima (PTB-SP), Edna Macedo (PTB-SP), Bispo Wanderval (PR-SP) e Jonival Lucas Júnior (PTB-BA), além de Divino e Gripp.Pelo menos um dos ex-parlamentares reconhece que tem mais de R$ 12 mil em crédito na TAM para gastar livremente com passagens aéreas. É o caso do ex-deputado João Alfredo (PSOL-CE), hoje vereador em Fortaleza. Ele se diz arrependido de ter voado e transportado familiares com a cota da Câmara e promete devolver cada centavo gasto."Estou constrangido", disse Alfredo ao Congresso em Foco. "Fui no mínimo pouco cuidadoso, poderia ter sido mais rigoroso com isso. Cometi um erro, porque entrei na lógica de como funcionava na Câmara. Isso não me exime. Sei que não posso reparar completamente", resigna-se o ex-deputado do PSOL, que usou a cota 24 vezes após o fim do mandato. O vereador de Fortaleza aparece como passageiro em apenas dois voos. O restante foi cedido a parentes e amigos.O ex-deputado disse que já ressarciu parte dos créditos da Câmara utilizados desde que deixou a Casa. "Levantei empréstimo no Banco do Brasil. Paguei através de guia de recolhimento da União R$ 5.878,21 e devolvi o ?vaucher? que tinha. A informação que me foi dada na época era de que não havia devolução. Diziam que as empresas já tinham recebido. Mesmo fazendo essa devolução hoje, é preciso que a Câmara requeira esses créditos." FRASESAgnelo QueirozDiretor da Anvisa"Eu tinha crédito, já era meu, não era da Câmara"João AlfredoVereador em Fortaleza"Estou constrangido. Fui no mínimo pouco cuidadoso, poderia ter sido mais rigoroso com isso. Cometi um erro, porque entrei na lógica de como funcionava na Câmara. Isso não me exime. Sei que não posso reparar completamente"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.