Câmara modifica texto do projeto que cria novas varas federais

Foram reduzidas para 230 as varas a serem criadas, reduzindo também o número de cargos a serem preenchidos

Denise Madueño e Luciana Nunes Leal, da Agência Estado,

16 de junho de 2009 | 18h07

O texto do projeto de lei do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que cria novas Varas Federais, foi modificado pela Câmara e a proposta que será votada pelo plenário da Casa, na sessão desta tarde, reduziu de 400 para 230 o número de varas federais a serem criadas. Com isso, serão criados 8.510 cargos e funções em comissão assim distribuídos: 230 cargos de juízes federais, 230 juízes federais substitutos, 2.070 analistas judiciários, 2.530 técnicos judiciários, 230 comissionados e 3.220 funções comissionadas.

 

"Não é nenhum trem da alegria. Os cargos serão preenchidos por concurso público. O projeto facilitará a desburocratização, a eficiência do serviço jurisdicional para a população. A proposta é muito importante para o acesso à Justiça", defendeu o deputado José Genoino (PT-SP).

 

"Criar cargos em um setor ineficiente, não garante eficiência. A providência tem de ser dar agilidade às decisões e informatizar a Justiça", afirmou o deputado Arnaldo Madeira (PSDB-SP). O tucano é contra a criação de despesas e impediu a votação do projeto na semana passada.

 

"Estamos vivendo um momento de incerteza, com queda do Produto Interno Bruto, e sou contra aprovar um projeto que prevê gastos para os próximos 40 anos, pelo menos, porque uma pessoa vai fazer 30 anos de serviço e mais pelo menos 10 anos de aposentadoria", criticou Madeira.

 

A localização das Varas será definida pelo Conselho de Justiça Federal e o Tribunal Regional Federal estabelecerá a competência das Varas e juizados especiais federais.

Tudo o que sabemos sobre:
STJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.