Câmara intensifica votação para entrar em recesso branco

Chinaglia diz que só libera parlamentares para participar das eleições se votarem dez projetos da pauta

Denise Madueño, de O Estado de S. Paulo,

19 de agosto de 2008 | 17h08

A Câmara deverá ter votações no plenário a partir desta quarta-feira, 20, até a primeira semana de setembro e, a partir daí, entrará em recesso branco para permitir que os deputados se dediquem às campanhas eleitorais municipais sem a necessidade de estarem em Brasília. A condição imposta pelo presidente da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), para liberar os deputados foi a de votarem os dez projetos que já estão na pauta acertada entre os líderes partidários na semana passada.  Veja também:Chinaglia corta hora extra e é apelidado de ''1 para as 7'' Quando não há votações marcadas, a presença do parlamentar não é exigida e não há corte de salários. "Nós vamos trabalhar por tarefas", afirmou Chinaglia. Ainda hoje, ele reunirá os líderes partidários para decidir se amplia a lista das propostas que deverão constar da pauta e acertar as votações de amanhã. "Se concluirmos as votações, poderemos ter reuniões das comissões e não haver votação no plenário na próxima semana", disse o presidente. Chinaglia pretende repetir amanhã a produção da semana passada, quando, na quarta-feira, foram votados dez projetos, nenhum deles polêmico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.