Câmara inicia sessão que definirá novo ministro do TCU

A sessão no plenário da Câmara que vai definir a escolha do novo ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) começou por volta das 11 horas com uma novidade: a renúncia de um dos candidatos, Vilson Covatti (PP-RS). O deputado se reuniu com a bancada e avaliou que sua candidatura não era viável. Com isso, os 41 votos do PP devem ser divididos entre as candidaturas da líder do PSB, deputada Ana Arraes (PE), do ex-presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PC do B-SP) e Átila Lins (PMDB-AM). O peemedebista foi o primeiro a discursar, para um plenário ainda esvaziado, mas que às 10h50 já registrava a presença de 303 deputados. (Christiane Samarco)

CHRISTIANE SAMARCO, Agência Estado

21 Setembro 2011 | 11h24

A reta final da campanha foi marcada pela movimentação ostensiva da cúpula do PSB e de integrantes do governo de Pernambuco, que abandonaram Recife e montaram uma espécie de QG (quartel general) em Brasília para trabalhar a candidatura da líder do PSB, deputada Ana Arraes (PE).Além do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PE), há dois meses em campanha aberta para eleger a mãe candidata, também estavam pedindo votos em Brasília ontem o vice-governador João Lyra, dois secretários de Estado e o presidente de uma empresa pública pernambucana.

A despeito da fartura de candidatos para disputar o voto dos 513 deputados, líderes de partidos governistas e de oposição avaliam que a disputa está polarizada entre duas candidaturas: a da Ana Arraes e a do ex-presidente da Câmara Aldo Rebelo (PC do B-SP).

Mais conteúdo sobre:
TCUconselheirovotação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.