Câmara fecha acordo para votação de 20 projetos de consenso

Arlindo Chinaglia diz que como projetos não têm prazo para votação, a pauta será negociada a cada dia

REUTERS

13 de agosto de 2008 | 13h17

Em meio ao período eleitoral, os líderes dos partidos governistas e de oposição na Câmara dos Deputados definiram nesta quarta-feira, 13,  uma lista de 20 propostas de pouca polêmica para ser votada nos próximos dias.  "Nós tivemos obstrução, medidas provisórias trancando e isso paralisou a Câmara. Agora, estamos de forma negociada votando e mais do que isso produzindo um grande acordo. Um surpreendente acordo", disse o presidente da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP). Como os projetos não têm prazo para votação, a pauta será negociada a cada dia, informou Chinaglia. Na terça-feira, os líderes acertaram limpar a pauta de matérias com votação obrigatória. Por falta de acordo entre governo e oposição, ficaram de fora a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que muda o rito de tramitação das medidas provisórias e as propostas de reforma tributária. Foram incluídos na lista de votação, entre outros, os projetos de lei que alteram o Supersimples, que tratam de mudanças na Lei Kandir de fomento às exportações, que aumentam para seis meses a licença-maternidade, além da Lei Geral do Turismo. Também há acordo para o projeto que cria a carteira de habilitação Brasil-Espanha e outro que exclui da base de cálculo do ICMS o montante da parcela do consumo de energia elétrica de pessoas de baixa renda.

Tudo o que sabemos sobre:
Câmaraobstruçãoprojetosvotações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.