Câmara entra em recesso sem destrancar a pauta

Após muita polêmica, o debate sobre a reforma política também fica para agosto

Luciana Nunes Leal, do Estadão,

17 de julho de 2007 | 19h07

No último dia de trabalho parlamentar, a Câmara dos Deputados não conseguiu votar a medida provisória que trancava a pauta do plenário, por falta de quorum. Para que houvesse votação, seria necessária a presença de pelo menos 257 deputados.   Na sessão deliberativa, o painel marcava a presença de 166 deputados. Durante a sessão não deliberativa que se seguiu, a presença aumentou para 196 deputados. O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), disse que os faltosos terão o dia descontado de seus salários.   A medida provisória que estava em pauta prorroga por três anos o prazo para adequação de regimes próprios de previdência social da União, de Estados, de municípios e do Distrito Federal. A MP terá que ser votada na primeira sessão deliberativa do segundo semestre porque, sem isso, nenhum projeto pode ser apreciado pelos deputados. O recesso parlamentar começa amanhã e vai até o dia 31 de julho.   Reforma política   Um dos assuntos mais polêmicos neste semestre, a reforma política também ficou para o mês de agosto, após o recesso parlamentar.Entre os pontos a serem votados estão o financiamento público de campanha e a fidelidade partidária.   O voto em lista, ponto com menos consenso entre os líderes partidários, foi derrotada em votação no mês passado.

Tudo o que sabemos sobre:
Câmararecessopautadeputados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.