Câmara encerra sessão sem votar nada

O presidente da Câmara, Aécio Neves, encerrou a sessão no início da tarde sem conseguir votar nenhuma medida provisória. Faltaram dez deputados da base governista para derrubar a obstrução da oposição. Com isso, não houve quorum suficiente para a votação de um requerimento solicitando o adiamento da votação da MP número 15, que prorroga o prazo de adesão para a renegociação das dívidas dos produtores rurais.Eram necessários 257 e votaram apenas 247 parlamentares. Esta MP voltará à pauta na próxima terça-feira. Nesta tarde, haverá apenas uma sessão não-deliberativa, para debates parlamentares. O líder do governo na Câmara, Arnaldo Madeira, afirmou que a votação das medidas provisória na sessão de hoje foi frustrada porque a base governista, juntamente com o PFL, não assegurou o quórum. A obstrução dos partidos de oposição também prejudicou, disse."A obrigação do deputado é estar aqui (em plenário) no período da votação", disse Madeira. Ele afirmou ainda que a frustração na votação de hoje ocorreu porque nas quintas-feiras os deputados costumam votar projetos sobre os quais há acordo para votação simbólica.Ainda segundo Madeira, esse acordo tinha sido fechado com a oposição. "Hoje de manhã fui comunicado que a oposição havia mudado a disposição de votar sem pedir a verificação de quórum", disse Madeira.Ele espera que na próxima semana, com as convocações para a votação na terça, quarta e quinta-feira seja possível avançar na votação das medidas provisórias que ainda estão trancando a pauta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.