Câmara do DF pede ao STF que descarte intervenção

STF vai elaborar um parecer sobre a investigação com base nas informações do PGR e da Câmara Legislativa

Agência Brasil,

01 de março de 2010 | 12h06

A Procuradoria da Câmara Legislativa do Distrito Federal vai encaminhar ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda-feira, 1, um documento defendendo que seja descartada a intervenção federal pedida pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

 

Veja também:

link Governador vai à missa pedir estabilidade

link STJ diz que prisão de Arruda foi necessária

link Deputado deve entregar renúncia na segunda

 

Os representantes da Câmara afirmam que a medida é desnecessária e contestam o argumento de Gurgel, que indicou em seu pedido de intervenção que não haviam condições de governabilidade no Distrito Federal após a eclosão do escândalo conhecido como Mensalão do DEM.

 

O caso resultou na prisão do governador licenciado, José Roberto Arruda, nas renúncias do vice-governador, Paulo Octávio, e do deputado distrital Leonardo Prudente, flagrado enquanto guardava dinheiro nas meias.

 

O presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, vai elaborar um parecer sobre a investigação com base nas informações apresentadas pela Procuradoria-Geral da República e pela Câmara Legislativa. Caso seja ele aprove o pedido de intervenção, será nomeado um interventor para governar o Distrito Federal.

 

Na semana passada, a Câmara aprovou o parecer do relator da Comissão Especial referente ao impeachment do governador Arruda, que terá 20 dias para apresentar sua defesa. Por sua vez, o STF deve julgar nesta quinta-feira, 4, o pedido de habeas corpus do governador, que permanece preso há 18 dias na superintendência da Polícia Federal em Brasília, acusado de tentar coagir uma testemunha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.