Câmara do DF discute regras da eleição indireta para governador

Distritais terão 29 dias a partir da publicação da cassação de Arruda para eleger novo governador

estadão.com.br

22 de março de 2010 | 10h43

A mesa diretora da Câmara Legislativa do Distrito Federal está reunida nesta segunda-feira, 22, desde às 10 horas, para discutir a regulamentação das eleições indiretas que deverão apontar o substituto do governador cassado José Roberto Arruda (ex-DEM, sem partido), que segue preso na superintendência da Polícia Federal.

 

Na última sexta-feira, 19, o presidente da Casa, Cabo Patrício (PT), reuniu-se com o comando do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para bater o martelo sobre a substituição de Arruda, cassado por infidelidade partidária. Agora, a Mesa precisa elaborar uma normatização que defina o prazo para inscrição de candidatos, data da eleição e outros detalhes.

 

Após a reunião, a assessoria de Patrício confirmou que dentro de 29 dias a partir da publicação, no Diário de Justiça, da cassação do mandato de José Roberto Arruda pelo TRE, os 24 deputados distritais vão eleger um novo governador. Isso só não ocorrerá se os advogados de Arruda conseguirem uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que o mantenha no cargo durante os recursos à cassação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.