Câmara do DF convoca lideranças para compor nova CPI

Composição da nova Comissão Parlamentar de Inquérito deverá ser concluída na próxima semana

estadao.com.br,

22 de janeiro de 2010 | 11h48

O presidente interino da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Cabo Patrício (PT), solicitou nesta sexta-feira, 22, através de um ato, que os líderes partidários indiquem os deputados que vão compor a nova Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e a Comissão Especial que deverá analisar os pedidos de impeachment contra o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido). 

 

Veja também:

link Base aliada de Arruda derruba CPI da Corrupção no DF

link Estudantes espalham esterco em frente à Câmara do DF

link Prudente recorre ao STF para reassumir Câmara do DF

blog BLOG DO BOSCO: Suplentes no esquema Arruda

 

Arruda é acusado em inquérito da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal (PF), de ser o chefe de um suposto esquema de arrecadação de propina entre empresas contratadas pelo governo e distribuição do dinheiro entre os parlamentares da base aliada, que ficou conhecido como "Mensalão do DEM".

 

Com a publicação do ato nesta sexta-feira, as lideranças partidárias terão até segunda-feira, 25, para apresentar suas indicações. Uma vez escolhidos os membros titulares e suplentes da nova CPI, estes deverão eleger, também no dia 25, o novo presidente e o vice da Comissão.

 

Nesta quinta-feira, 21, a base aliada de Arruda conseguiu anular a CPI da Corrupção, que havia sido instalada para investigar o suposto esquema de arrecadação de propina. A anulação foi obtida após a decisão do juiz Vinícius Santos, da 7ª Vara de Fazenda do Tribunal de Justiça do DF, que determinou o "imediato afastamento" dos 10 deputados distritais envolvidos no escândalo e o "reconhecimento da invalidade de todo ato deliberativo já praticado, no qual houve a interferência direta e cômputo do voto dos deputados ora afastados". Com a medida, foi possível anular a Comissão e atrasar a avaliação dos pedidos de impeachment contra Arruda.

 

O deputado Chico Leite (PT) afirmou na quinta-feira, após a anulação da CPI, que os deputados governistas fizeram uma interpretação equivocada da decisão judicial para impedir o depoimento do ex-secretário de Relações Institucionais, Durval Barbosa, denunciante do esquema, à comissão - que estava marcado para a próxima terça-feira, 26.

 

Principal delator do esquema de corrupção envolvendo o governo Arruda, Durval Barbosa está sob guarda do programa de proteção a testemunhas, do ministério da Justiça, e havia prometido fazer revelações que comprometeriam o governador Arruda.

 

Com informações da Câmara Legislativa do Distrito Federal

Tudo o que sabemos sobre:
ArrudaDistrito FederalMensalao do DEM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.