Câmara de São Luís acaba com o voto secreto

A Câmara de São Luís decidiu hoje acabar com o sistema de votação secreta. Por 16 votos a um, os vereadores aprovaram o projeto do vice-presidente da Casa, Abdon Murad (PFL), que segue o modelo dos legislativos municipal e estadual de São Paulo. O único voto contra o projeto foi o vereador Haroldo Sabóia (PT).O projeto de lei de Murad altera a Lei Orgânica do Município (LOM) e põe fim ao voto secreto para a escolha da Mesa Diretora do Legislativo, cassação de prefeito, vice- prefeito e vereadores. Além disso, o projeto acaba também com o voto secreto quando o Legislativo analisa o veto do prefeito a propostas que foram aprovadas pelos vereadores."Fiquei feliz com a aprovação do projeto e, ao mesmo tempo, surpreso com a votação do PT", afirmou Murad. Segundo ele, Sabóia não concordou com o dispositivo do projeto que permite votação aberta para apreciação de vetos do Executivo.O vereador petista não confirmou o comentário de Murad. "Votei contra porque o presidente da Câmara conduziu a votação de forma atabalhoada e autoritária, sem que o plenário tivesse tempo para discutir o mérito da questão." O presidente da Câmara de São Luís é o vereador Ivan Sarney (PMDB), irmão do senador José Sarney (PMDB-AP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.