Câmara de Salvador aprova aumento para prefeito reeleito

Três dias depois de ser reeleito prefeito de Salvador, João Henrique Carneiro (PMDB) recebeu ontem da Câmara Municipal mais um presente: os vereadores concederam a ele, a seu vice e aos secretários municipais um aumento de 29,8% no salário. No ano que vem, os vencimentos dos membros do Executivo municipal passarão de R$ 8.586 para R$ 11.146, no caso do prefeito, e de R$ 7.155 para R$ 9.288, nos de vice-prefeito e secretários.Para aprovar o reajuste, os vereadores derrubaram um veto do próprio prefeito, dado em 19 de setembro, às vésperas do primeiro turno, depois de uma votação na Câmara que havia aprovado o aumento não só dos salários do Executivo municipal, mas também do Legislativo. No caso, os vereadores reajustaram os próprios salários em 29,8% e não tiveram o aumento vetado pelo prefeito.Ontem, 35 dos 41 legisladores participaram da votação, feita de forma secreta. Apenas dois deles votaram a favor do veto do prefeito. À época, a derrubada do reajuste causou reações fortes na oposição, que acusou o Executivo de ter proibido o aumento apenas para não sofrer desgaste da opinião pública. "Se o veto fosse sério, a bancada governista teria sido orientada a manter a decisão", disse a vereadora Aladilce Souza (PCdoB), reeleita para o cargo.De acordo com a assessoria da prefeitura, Carneiro continua contra o reajuste, porque uma de suas metas da segunda administração é cortar gastos públicos, e pediu aos advogados do município para procurar formas de vetar mais uma vez o aumento salarial. Porém, segundo o presidente da Câmara, Valdenor Cardoso (PTC) - que não se reelegeu -, o reajuste é necessário porque, com ele, serão aumentados também os salários de categorias que têm base nos vencimentos do Executivo municipal, como auditores fiscais.

TIAGO DÉCIMO, Agencia Estado

30 de outubro de 2008 | 17h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.