Câmara de BH propõe aumento de 20% para Lacerda

A Mesa Diretora da Câmara Municipal de Belo Horizonte apresentou um projeto que reajusta em 20% o salário do próximo prefeito da capital mineira. O projeto prevê que a remuneração mensal a ser paga ao prefeito eleito Márcio Lacerda (PSB) passe de R$ 15,9 mil para R$ 19,08 mil e eleva em até 46,9% os vencimentos dos secretários municipais e secretários-adjuntos. No total, a proposta encaminhada ontem às comissões do Legislativo municipal prevê aumento nos contracheques de 66 membros dos primeiro e segundo escalões do Executivo da capital mineira.O projeto vai na direção das pretensões de Lacerda de atrair profissionais da iniciativa privada para seu governo, o que demandaria salários equiparados ao mercado. O presidente da Câmara, vereador Totó Teixeira (PR), conversou com o prefeito eleito e defende o reajuste, observando que boa parte do primeiro escalão do próximo governo será montado com base "na competência técnica".Caso a proposta seja aprovada, Lacerda deverá assumir a prefeitura com uma remuneração mensal quase o dobro da que recebe o governador do Estado, Aécio Neves (PSDB) - R$ 10,5 mil. Caso aprovado o aumento, o vencimento dos 20 secretários municipais passa de R$ 9,54 mil para R$ 13,3 mil, o que equivaleria a 70% do contracheque do prefeito. O salário dos secretários-adjuntos pularia de R$ 7,79 mil para R$ 11,4 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.