Beto Barata/Estadão
Beto Barata/Estadão

Câmara cria 94 cargos comissionados para PROS e Solidariedade

Siglas criadas em setembro terão direito a funcionários especiais até que suas bancadas seja escolhidas na eleição de 2014; cargos custarão R$ 10,4 milhões ao Legislativo

RICARDO DELLA COLETTA, Agência Estado

17 Dezembro 2013 | 18h45

Brasília - A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira, 17, a criação de 94 cargos comissionados e de natureza especial para o ano de 2014, destinados às lideranças dos partidos recém-criados PROS e Solidariedade. Pela redação aprovada pelo plenário da Câmara, a liderança de cada uma das siglas terá direito a 47 cargos de confiança, a um custo de R$ 10,4 milhões para a Casa no próximo ano.

Os parlamentares também aprovaram um projeto de resolução que institui os novos cargos e que já foi promulgado. Os postos são provisórios e devem ser revistos após a realização das eleições de 2014, uma vez que a estrutura de funcionários comissionados e de natureza especial que a Câmara coloca à disposição das legendas varia de acordo com o número das bancadas eleitas.

É por este motivo que as lideranças de partidos que perderam parlamentares com a criação do PROS e do Solidariedade, por exemplo, continuam com o mesmo número de cargos comissionados que lhes foram designados após o último pleito, em 2010.

O PROS e o Solidariedade foram criados no final de setembro deste ano e se tornaram o 31º e 32º partidos com registros válidos no País. Ambos formaram as suas bancadas com a migração de parlamentares descontentes com suas legendas de origem. O Solidariedade conta hoje com 22 deputados e o PROS, 18.

Mais conteúdo sobre:
PROS Solidariedade cargos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.