Câmara convida ministro das Cidades para explicar denúncias de fraude

Após acordo entre oposição e governo, deputados aprovaram convite para Mário Negromonte prestar esclarecimentos sobre fraude em projeto de obra da Copa

Eugênia Lopes, de O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2011 | 11h45

BRASÍLIA - A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara aprovou nesta quarta-feira, 30, convite para o ministro das Cidades, Mario Negromonte comparecer para depor na Câmara para esclarecer denúncias de irregularidades no Ministério. Houve acordo entre governo e oposição para transformar a convocação do ministro em convite. A audiência está prevista para a próxima quinta-feira, 8.

Na semana passada o depoimento de Negromonte chegou a ser marcado, mas a pedido do ministro foi adiado. A oposição também trabalha para aprovar convite de funcionários da pasta envolvido no escândalo da fraude do documento que abriu caminho para a aprovação de projeto de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), em Cuiabá (MT), encarecendo em R$ 700 milhões a obra de mobilidade urbana para a Copa do Mundo de 2014. A oposição quer ouvir Higor Guerra, analista de infraestrutura do Ministério, que denunciou a pressão para que adulterasse a documentação que trata da implantação de sistema público em Cuiabá.

Na edição desta quarta, o Estado revelou que a empresa interessada no negócio, a T’Trans, fez estudo pago por presidente da Assembleia de Mato Grosso, José Riva, a favor do VLT.

Carvalho. A base aliada rejeitou, porém, por 12 votos a 4, a convocação do ministro da Secretaria Geral, Gilberto Carvalho, para explicar denúncias feitas pelo sindicalista Irmar Batista, de que assessores do Ministério do Trabalho estariam cobrando R$ 1 milhão de propina para a autorização de abertura de sindicatos. Segundo a denúncia, Carvalho foi avisado sobre a extorsão, mas não tomou providências.

Atualizado às 14h30

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
CâmaraNegromonteaudiência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.