Câmara aprova MP que transforma quatro secretarias em Ministérios

Proposta também cria 190 cargos a serem preenchidos sem concurso pelo Ministério da Saúde

Denise Madueño, de O Estado de S. Paulo,

06 Julho 2010 | 23h15

BRASÍLIA- O plenário da Câmara aprovou na noite desta terça-feira, 6, a medida provisória que transformou as secretarias especiais de Direitos Humanos, de Política para Mulheres, de Igualdade Racial e dos Portos em ministérios.

 

A proposta aprovada também cria 190 cargos a serem preenchidos sem concurso público pelo Ministério da Saúde, incluindo os destinados à estrutura da Secretaria Especial de Saúde Indígena, e outros 16 para o Ministério da Integração Nacional. A MP de número 483 gerou uma despesa adicional aos cofres públicos de cerca de R$ 10,6 milhões.

 

A votação foi possível depois que a oposição concordou em parar com as manobras para obstruir a sessão. Por acordo entre governo e oposição, o plenário votou também a Medida Provisória 484 que autorizou o repasse de R$ 800 milhões para o Programa Especial de Fortalecimento do Ensino Médio.

 

O programa é voltado para os Estados das regiões Norte e Nordeste. As duas MPs terão de ser votadas agora pelo Senado. A MP 483 perderá a validade no dia 4 de agosto, se não for votada até essa data, e a MP 484, no dia 9 de agosto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.