Câmara aprova estatal para produzir homoderivados

A Câmara aprovou nesta terça-feira, em votação simbólica, projeto de lei que cria a Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobrás), que ficará encarregada de produzir industrialmente hemoderivados com prioridade para o tratamento de pacientes do Sistema Único de Saúde (Sus), a partir do fracionamento de plasma obtido no Brasil.O projeto foi apresentado no ano passado pelo Executivo e ainda precisa ser votado pelo Senado. A criação da Hemobrás foi aprovada duas semanas depois da prisão de servidores públicos e lobistas acusados de desvio de dinheiro público na compra de derivados de sangue. As prisões foram feitas durante a Operação Vampiro, realizada pela Polícia Federal. ?Estão criando a Vampirobrás?, disse o líder do PFL, deputado José Carlos Aleluia (BA).Segundo o Ministério da Saúde, a criação da Hemobrás vai representar uma redução nos gastos de importação anual de US$ 20 milhões a US$ 40 milhões. O investimento estimado na implantação da fábrica é de US$ 55 milhões, e a economia prevista, segundo o governo, é de 30% a 50% em relação ao que é gasto atualmente no contrato de fracionamento no Exterior. Pelo projeto, a Hemobrás será vinculada ao Ministério da Saúde e terá sede no Distrito Federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.