Câmara aprova cassação de Carlos Xavier (PMDB-DF)

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Legislativa de Brasília aprovou nesta segunda-feira, por unanimidade, a cassação do deputado distrital Carlos Xavier (PMDB). O político é acusado de quebrar o decoro parlamentar ao praticar tráfico de influência na Administração Regional de Samambaia (DF), além de responder pela acusação de ser o mandante do assassinato do estudante Ewerton Ferreira, 16 anos, morto no dia 8 de março por ser o suposto amante da mulher de Xavier. O plenário deverá votar definitivamente o pedido de cassação na quinta-feira. Além do relator do processo de cassação, Pedro Passos (PMDB), os distritais Chico Leite e Chico Vigilante votaram pela perda do mandato. Júnior Brunelli (PP), outro integrante da CCJ, não compareceu à reunião. Wilson Lima (PMDB) se absteve de votar porque é suplente de Xavier. A Câmara Distrital tem 24 deputados. Para que a cassação seja aprovada, são necessários 13 votos a favor da perda do mandato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.