Câmara adia para agosto votação da reforma política

A Câmara dos Deputados adiou para o mês de agosto, após o recesso parlamentar, a discussão e votação dos projetos de lei que tratam da reforma política. O adiamento foi anunciado pelo deputado Nárcio Rodrigues (PSDB-MG), que presidiu na quarta-feira, 11, à noite a sessão do Congresso Nacional que votou a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). O anúncio foi a pedido do presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP).O líder do Democratas, deputado Onyx Lorenzoni (RS), disse que o presidente da Câmara lhe informou que colocará em votação a reforma política no dia 7 de agosto. O presidente do PMDB, deputado Michel Temer (SP), confirmou que a reforma política só voltará a ser discutida depois do recesso parlamentar. "Nós fizemos um ajuste entre as várias lideranças da Casa - como o presidente Arlindo Chinaglia - para retomarmos esse assunto em agosto", afirmou Temer, em entrevista ao Jornal da Globo, pouco depois da aprovação da LDO de 2008. Ele adiantou que lá os parlamentares terão mais tempo para discutir inclusive eventuais reformas constitucionais. "A questão dos suplentes de senadores; a coincidência de mandatos; o voto majoritário nos Estados", exemplificou. "Esses temas serão retomados no mês de agosto e estudados com maior profundidade para trazermos ao plenário."(Colaborou Paulo Maciel)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.