Câmara adia debate sobre adesão venezuelana ao Mercosul

Em debate na Comissão de Relações Exteriores, deputados trocaram duras opiniões sobre o Hugo Chávez

REUTERS

07 de novembro de 2007 | 11h40

A Comissão de Constituição e Justiçada Câmara dos Deputados adiou na quarta-feira a tramitação dopedido de adesão da Venezuela ao Mercosul, o que retarda aindamais a já demorada incorporação do país ao bloco. Os presidentes dos países-membros do Mercosul -- Brasil,Argentina, Uruguai e Paraguai -- assinaram em julho de 2006, emCaracas, o protocolo de adesão da Venezuela, mas isso aindadepende da aprovação dos Congressos de Brasil e Paraguai. Há atrasos também nas negociações para que a Venezuelaadote a Tarifa Externa Comum do Mercosul e no intercâmbio daslistas de produtos que estarão sujeitos a redução de impostosnos prazos fixados em um cronograma. A aprovação da adesão venezuelana no Congresso brasileirocomeçou com uma complicada passagem pela Comissão de RelaçõesExteriores, onde durante cinco horas os deputados trocaramduras opiniões sobre o governo de Hugo Chávez. O debate na CCJ da Câmara foi adiado porque o relator,deputado Paulo Maluf (PP-SP), ainda não apresentou seu parecer,segundo a agência de notícias do Congresso. Após o debate nesta comissão, a proposta deve passar aoplenário da Câmara e depois ao Senado, onde também deve haverforte resistência. Em recente entrevista à Reuters, o senador José Sarney(PMDB-AP) disse que Chávez precisa garantir a vigência dademocracia em seu país como pré-requisito para a adesãovenezuelana ao Mercosul. Chávez se queixa reiteradamente da demora no Congresso echegou a acusar os senadores brasileiros de representarinteresses dos Estados Unidos devido a uma moção de repúdio aofechamento do canal oposicionista venezuelano RCTV. (Por Guido Nejamkis)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICAMERCOSULVENEZUELA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.