Calheiros pede investigações sobre ACM

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL), escolhido pelo seu partido para reagir às denúncias do senador Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) apresentou no plenário do Senado pedido de abertura de inquérito para que sejam investigados supostos negócios entre a administração do Senado e o ex-representante do governo da Bahia em Brasília, Rubens Galerani, que se dizia amigo do senador Antônio Carlos Magalhães. Calheiros pediu também a abertura de inquérito para investigar o contrato do Senado com a Cooperativa dos Trabalhadores em Comunicação Social (Copercom). O senador apresentou ainda requerimentos para que sejam tomadas as seguintes providências: Auditoria do Tribunal de Contas da União nos contratos de suprimento e intercâmbio de energia elétrica de Angra II firmados entre Eletrobrás, Eletronuclear, Furnas e distribuidoras de energia no valor de R$ 180 milhões. O senador solicitou que seja entregue cópia da auditoria ao Ministério Público da União; pediu informações sobre o processo do Ministério da Previdência Social sobre fraude no fornecimento de Certidão Negativa de Débito em contrato entre João Carlos Di Gênio, amigo do senador Antônio Carlos Magalhães, e a Pavimentnadora Vicente Mateus Limitada; requisitou cópia de auditoria do TCU sobre convênio de R$ 58 milhões firmado entre a Infraero e o governo da Bahia para obras no aeroporto Luiz Eduardo Magalhães, em Salvador, efetuados pela empresa OAS. Calheiros pediu também cópia de auditoria do TCU sobre contrato da OAS, no valor de US$ 38 milhões, firmada no convênio 0391 do Porto de Juazeiro, cujas obras não teriam sido realizadas. Renan Calheiros disse que os pedidos de informações têm os mesmos objetivos que os apresentados por seu antecessor na tribuna, o senador Antônio Carlos Magalhães. "Precisamos dar ao País a dimensão que ele tem e às sibilas as dimensões que elas merecem", afirmou. O senador do PMDB concluiu seu pronunciamento dizendo que o Senado é "a Casa da busca do consenso, do entendimento". "Mas enquanto o consenso não chega vamos aproveitar o tempo para aprofundar os esclarecimentos e realizar investigações". O presidente da mesa, Jader Barbalho, deferiu todas as providências solicitadas por Renan Calheiros e Antônio Carlos Magalhães.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.