Calheiros espera depoimento de Jader para breve

O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), acredita que será possível antecipar o depoimento do presidente licenciado da Casa, Jader Barbalho (PMDB-PA), na comissão de inquérito encarregada de apurar as acusações formalizadas contra o senador do Pará. Jader deverá ser ouvido pela comissão em no máximo dez dias, de acordo com os cálculos de senadores. Na última conversa entre Renan e Jader, este manifestou o desejo de prestar esclarecimentos à comissão o mais rápido possível. Como a oposição também defende que o peemedebista seja ouvido em breve, Renan avalia que será possível fazer um acordo para concluir os trabalhos de investigação no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar até 9 de setembro, quando será realizada a convenção nacional do PMDB. No PMDB, todos trabalham para que esse problema seja resolvido logo, a fim de evitar que o tema contamine a convenção e prejudique o partido, porque Jader ainda é presidente da legenda. Licenciou-se do cargo por pressão do próprio PMDB, mas só deixará o comando oficial do partido no dia do encontro.O líder do bloco de oposição no Senado, José Eduardo Dutra (PT-SE), disse que a Casa poderá requisitar os dados da movimentação bancária de Jader relativos às investigações do Ministério Público e ao eventual processo no Supremo Tribunal Federal (STF), que já quebrou o sigilo do peemedebista no caso do Banpará. "A decisão do Supremo a respeito da quebra de sigilo não muda em nada as investigações no Senado", disse. "Mas, se for necessário, o Senado poderá requisitar os dados bancários ao Supremo", acrescentou. Dutra espera que o BC envie o relatório do Banpará amanhã. Ele defende que, se a documentação não for encaminhada pelo banco, a comissão deve marcar uma audiência com o presidente do BC, Armínio Fraga, parar pedir a entrega do relatório.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.