Calderón telefona para Dilma e oferece solidariedade

O presidente do México, Felipe Calderón, telefonou hoje para a presidente Dilma Rousseff, para oferecer solidariedade por causa da tragédia que assolou a região serrana do Rio de Janeiro. Ele ofereceu auxílio para o socorro às vítimas, sem, no entanto, expressar o tipo de ajuda que poderia ser dada. O telefonema de Calderón para Dilma durou menos de dez minutos e foi realizado por volta das 17 horas.

TÂNIA MONTEIRO, Agência Estado

21 de janeiro de 2011 | 18h14

Calderón, que não esteve na posse de Dilma, cumprimentou a presidente pela sua chegada ao poder durante o telefonema de hoje e reiterou o convite para que ela visite o México. Dilma aceitou o convite, mas não acertou nenhuma data. Entre março e abril, Dilma irá aos Estados Unidos e poderá fazer as duas viagens em uma só oportunidade, mas não há nada definido. Na conversa da tarde de hoje, a presidente brasileira falou da importância das relações entre os dois países, salientando que é uma relação "estratégica".

Ontem, a presidente Dilma Rousseff havia recebido outro telefonema de solidariedade do líder da Líbia, Muamar Kadafi. Dilma disse esperar encontrá-lo no próximo dia 16 de fevereiro em Lima, no Peru, onde ocorrerá a terceira reunião de Cúpula de Chefes de Estado e de Governo da América do Sul e de Países Árabes.

Tudo o que sabemos sobre:
telefonemaauxílioRioCalderónDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.