Calamidade em Ribeirão Preto. Umidade baixa a 8%

A umidade relativa do ar em Ribeirão Preto atingiu, às 15 horas de hoje, 8%, o índice mais baixo do ano no Estado de São Paulo, segundo dados do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Foi decretado estado de emergência, pela Defesa Civil do Estado, pois a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que isso ocorra quando se atingir índices abaixo de 12%. Ontem, a situação já era crítica, com a umidade atingindo 9%, índice que continuou caindo até as 13 horas de hoje. O índice mais baixo de umidade do ar de Ribeirão Preto foi registrado em 15 de outubro do ano passado: 7%. Segundo a meteorologista do Cptec, Kelen Martins Andrade, existe a previsão de que a região de Ribeirão Preto tenha pancadas de chuva amanhã, o que amenizaria a estiagem. Uma frente fria, vinda do Sul do País, já chegou à parte do Sul do Estado, provocando chuvas em pontos isolados. Devido à baixa umidade na cidade, os exercícios físicos de cerca de 21 mil alunos da rede municipal de ensino estão suspensos, sendo substituídos por jogos diferenciados, e na sombra, para evitar um desgaste maior das crianças, que sofrem com o calor no período da seca. Os funcionários dos Correios, devido a uma decisão judicial. só podem sair para entregar correspondências após as 15 horas. Para evitar desgaste durante o período de estiagem, algumas das recomendações são: beber mais água durante o dia, evitar os exercícios físicos externos, evitar ficar sob o sol das 10 às 16 horas, usar soro fisiológico nas narinas e olhos, purificar o ambiente (com água em recipientes), e evitar aglomerações de pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.