Guilherme Dionízio/Estadão
Guilherme Dionízio/Estadão

Caixa-preta de avião de Campos é recolhida pela Aeronáutica

De acordo com a Polícia Civil, 90% dos restos mortais das vítimas já foram enviados para SP; corpos podem ser liberados em até 3 dias

Wladimir D'Andrade, O Estado de S. Paulo

13 de agosto de 2014 | 20h17

Atualizada às 20h37

SANTOS - O delegado da Polícia Civil e diretor da Deinter-6, Aldo Galiano, disse na noite desta quarta-feira, 13, que as equipes de busca encontraram duas caixas-pretas do avião que transportava o candidato Eduardo Campos (PSB). "As caixas-pretas já foram recolhidas e estão com a Aeronáutica", afirmou, durante entrevista a jornalistas no local do acidente, no centro de Santos.

O delegado afirmou que a Aeronáutica convidou os investigadores da Polícia Civil para a perícia em uma das turbinas da aeronave que será retirada ainda hoje do local do acidente. O equipamento será periciado em São José dos Campos. 

Galiano disse a maior parte dos restos mortais das vítimas do acidente já foram levados para São Paulo. "Noventa por cento dos restos mortais foram recolhidos", disse. Segundo seus cálculos, em até três dias os corpos deverão ser liberados.

Ele afirmou que 16 áreas foram interditadas para os trabalhos das equipes de busca e perícia. "Os trabalhos seguem bem, sem percalços", disse. Estão envolvidos profissionais do Corpo de Bombeiros, do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) e Defesa Civil. 

Além da Polícia Civil, foi instaurado um inquérito pela Polícia Federal, conduzido pelo delegado Reinaldo Campos. O inquérito da Polícia Civil vai investigar eventual imperícia, imprudência ou negligência. O segundo vai apurar por que Campos não estava com os dois agentes de escolta que tinha direito. 

Mais conteúdo sobre:
EleiçõesEduardo CamposPSB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.