Caixa muda duas loterias e cria outra

A Caixa Econômica Federal anunciou hoje que, até o fim deste mês, lançará uma nova modalidade de aposta, chamada Totolegal. A nova loteria consistirá em um jogo de 25 dezenas, no qual o apostador escolherá 15, e receberá prêmios se acertar 13, 14 ou 15 dezenas."Será mais uma loteria de prognósticos numéricos, mas diferente da Lotomania, pois haverá um prêmio fixo, independentemente da quantidade de apostadores", informou o superintendente de loterias e jogos da Caixa, Marco Antonio Lopes "Os sorteios ocorrerão às segundas-feiras, o que preencherá nosso calendário de sorteios em todos os dias da semana". O lançamento de novas loterias e reformulação de outras já existentes faz parte da estratégia da instituição para elevar as apostas no País ao patamar de R$ 3 bilhões, em 2002. No ano passado, a Caixa bateu o recorde de arrecadação com loterias, ao acumular apostas de R$ 2,8 bilhões. Em 2000, o volume foi de R$ 2,4 bilhões. E a instituição parece estar na rota certa para atingir o objetivo: janeiro deste ano já foi o melhor da história da Caixa, com a arrecadação de R$ 244 milhões em loterias.Hoje, a Caixa apresentou as modalidades Loteca e Lotogol, substitutas, respectivamente, da Loteria Esportiva e do Bolão Federal, e que passam a concorrer já neste sábado. As campanhas publicitárias sobre os novos jogos começaram a ser veiculadas a partir de ontem e contam com a presença do técnico da seleção de futebol, Luiz Felipe Scolari.Lopes garantiu ser o novo sistema de maior probalidade de ganho para o apostador do que os formatos anteriores. "No caso da Lotomania, o universo de jogos subiu de 13 para 14. No entanto, ganha quem acertar 12, 13 ou 14 jogos", disse, esclarecendo que, na época da Loteria Esportiva, a probabilidade de o apostador sair com o prêmio era de uma para 1,59 milhão. "Agora, a chance é de uma para 4,78 milhões para o prêmio de 14 pontos. Mas de uma para 170,8 mil na faixa de 13 pontos e de 13,1 mil para a faixa de 12 pontos. Se na faixa que paga melhor ficou mais difícil, nas outras criadas é bem mais fácil", afirmou.Para ele, o novo formato da Esportiva, criada há 30 anos, estimulará os novos apostadores. "O público da Lotomania e do Lotogol é predominantemente formado por especialistas em futebol. Pesquisas indicam que esse apostador entende que, para ganhar o prêmio, é necessário conhecer o esporte, além de contar com a sorte", disse. "Ao ampliarmos as faixas de premiação, o apostador que não acertou a todos os jogos, mas a maior parte deles, vê também materializada a demonstração de seu conhecimento em futebol, o que é um incentivo a mais".O mesmo princípio foi adotado no Lotogol. Se antes, no sistema do Bolão Federal, era necessário acertar cinco ou seis placares em seis jogos, agora, pelo Lotogol, o apostador ganha se adivinhar três, quatro ou cinco placares em cinco jogos. "A probalidade para obter o prêmio máximo era de uma para 16,77 milhões. Agora, passou a ser de uma para 9,76 milhões", disse.O superintendente da Caixa disse entender que as novas loterias consolidam o calendário futebolístico brasileiro e que o risco de acontecer uma fraude na obtenção do prêmio é quase zero, apesar de reconhecer o grau de controle de dirigentes de clubes, federações e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) sobre o esporte, conforme ficou demonstrado nas apurações das duas comissões parlamentares de inquérito criadas no Congresso no ano passado e que recentemente apresentaram seus relatórios finais."Se ocorrer fraude, como manipulação de resultados, é problema de polícia. Mas a visibilidade que a mídia possibilita aos jogos escolhidos praticamente elimina o risco de fraude", afirmou. "Se um goleiro deixar uma bola passar propositadamente será condenado pela imprensa e terá sua carreira liquidada".Por garantia, a Caixa contratou uma empresa de assessoria para a escolha dos 14 jogos que comporão cada extração da Loteca. "Isso já acontecia no ano passado. Quando sabíamos que um determinado jogo tinha risco de não acontecer, por causa de uma liminar, o substituíamos na lista da Esportiva", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.