Caixa diz que violação de sigilo foi ato isolado

A Caixa Econômica Federal informou na tarde desta quinta-feira, por meio de nota, que a quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa foi um ato isolado e cita dois funcionários como prováveis responsáveis pelo crime.A nota diz que foi identificada a máquina da qual foi retirado o extrato da movimentação da conta do caseiro e que os dois empregados usuários do equipamento "foram convocados a prestar depoimentos, visando a identificação do responsável pela divulgação indevida das informações".O documento diz ainda que a apuração seguirá com toda a rapidez, "observados os princípios constitucionais de ampla defesa e do contraditório". A Caixa diz que encaminhará uma posição atualizada das investigações à Polícia Federal, conforme solicitado, mas informa a data.A nota afirma que a quebra do sigilo foi um fato isolado, que a instituição condena "e não ocorreu em suas agências, que continuam prestando todos os serviços com segurança e qualidade". A nota é assinada pela assessoria de imprensa.Veja a íntegra da nota:"A CAIXA, a respeito do caso de divulgação indevida de informações sobre conta de um dos seus clientes, informa:a) Foi identificada a máquina utilizada para o acesso à conta e impressão do extrato, conforme divulgado na imprensa. Os dois empregados usuários do equipamento foram convocados a prestar depoimentos, visando a identificação do responsável pela divulgação indevida das informações;b) A apuração prosseguirá com toda a celeridade, observados os princípios constitucionais de ampla defesa e do contraditório, para que se chegue a elucidação dos fatos, aplicando-se as penalidades cabíveis;c) A apuração prossegue no âmbito administrativo e a CAIXA encaminhará a posição atualizada das investigações à Polícia Federal, conforme solicitado;d) Cabe esclarecer à população e aos clientes da CAIXA, instituição que conta com imensa credibilidade adquirida ao longo de 145 anos e um quadro de empregados com elevado espírito público, que o fato em apuração é ato isolado, que a CAIXA condena, e não ocorreu em suas agências, que continuam prestando todos os serviços com segurança e qualidade."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.