Caixa classifica relatório do TCU como inverídico

A Caixa Econômica Federal (CEF) qualificou de "totalmente inverídico" o conteúdo do relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) que aponta disparidades entre os valores registrados pela estatal no Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi) e os números declarados em seu balanço.Segundo o relatório, o lucro líquido da Caixa em 2005, de acordo com o Siafi, é de R$ 428 milhões, mas o balanço da empresa mostra um desempenho 384,3% maior, de R$ 2,073 bilhões.Nota da Assessoria de Imprensa alega que "a Caixa não alimenta diretamente o Siafi com os seus dados de balancete, mas envia, mensalmente, arquivo com as informações ao Ministério da Fazenda." O autor do relatório do TCU, ministro Ubiratan Aguiar, afirma, entretanto, que no caso das estatais "não dependentes" (de recursos da União) sem capital aberto, como a Caixa, o BNDES e os Correios, acabam tendo seus dados publicados no sistema na elaboração do Balanço Geral da União, embora não exista nenhuma lei que determine sua inclusão no Siafi.A nota da assessoria alega que, "no relatório do TCU, está escrito que a Caixa, por não ser legalmente obrigada a registrar a execução orçamentária e financeira da receita e da despesa no Siafi, tem ´seus balanços integrados ao Sistema pela setorial contábil do Ministério da Fazenda´".A Caixa, diz ainda a nota da assessoria, "tem seus balanços auditados por empresa de auditoria independente, pelo Banco Central e órgãos de controle e fiscalização do governo federal e procede a publicação periódica no ´Diário Oficial da União´, em jornais de grande circulação, além de estarem acessíveis no site da instituição, não havendo qualquer suspeita sobre as contas e resultados do banco".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.