RENATO COSTA /FRAMEPHOTO
RENATO COSTA /FRAMEPHOTO

Caiado pede responsabilidade com coronavírus e é vaiado por manifestantes pró-Bolsonaro

Governador de Goiás afirmou que baixará um decreto para impedir eventos, jogos de futebol e carros de som no Estado, para evitar a propagação do vírus

Mateus Vargas, O Estado de S.Paulo

15 de março de 2020 | 19h24

BRASÍLIA - Aliado do presidente Jair Bolsonaro, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), cobrou “responsabilidade” contra disseminação do novo coronavírus no Estado e foi vaiado durante manifestação pró-governo, anti-Congresso e anti-STF.

“Sou um dos poucos (entre os governadores) que apoiam Bolsonaro. Mas vocês têm de entender que sou médico. E vocês precisam entender, a menos que não estejam olhando ao mundo, que vocês precisam mais do que nunca de ter responsabilidade e não fazer aglomerações que provoquem disseminação do novo coronavírus”, disse Caiado, sob fortes vaias. 

O governador afirmou ainda aos manifestantes que baixará um decreto para impedir eventos, jogos de futebol e carros de som no Estado, para evitar a propagação do vírus. 

“Na hora que morrer um da família, vocês vão estar chorando na porta do Palácio (do governador). Vocês precisam ter noção de seriedade. Não se mostra apoio ao governo colocando em risco a sua população”, disse Caiado. Veja o momento:

Atropelando recomendações do Ministério da Saúde, porém, o presidente Bolsonaro esteve na manifestação de Brasília. Ele cumprimentou diversos apoiadores e pegou em vários celulares para fazer selfies. Em certo momento, esteve com o rosto colado ao de seus fãs. 

O governo recomenda que sejam evitadas aglomerações. Diz ainda que evitar contato, tocar as mãos, e dividir objetos, como celular, é uma questão de bom senso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.