Caiado diz que STF definiu que invasão de terra é espoliação

Após encontro com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Maurício Correa, o deputado Ronaldo Caiado (PFL- GO) afirmou que a bancada ruralista saiu da audiência fortalecida. Segundo relato de Caiado, Maurício Correa explicou aos ruralistas que o Supremo já definiu que invasão de terras é esbulho (espoliação). Ronaldo Caiado afirmou que os proprietários rurais enfrentam um momento difícil em função do que chamou de vandalismo praticado por grupos supostamente ligados ao Movimentos dos Sem-Terra (MST) e paralelos. Referindo-se ao encontro do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com os dirigentes do MST, Ronaldo Caiado afirmou que os últimos gestos do Executivo legitimaram atos de violência. Segundo ele, os ruralistas esperam que as liminares determinando a reintegração das terras sejam confirmadas e que o Executivo sinalize que não será complacente com novas invasões. Caiado disse que não tem conhecimento sobre a reação armada de alguns proprietários de terras e fez a ressalva de que não defende esse tipo de ação. O deputado afirmou que a bancada ruralista está descontente com a atuação do governo. "Mas o descontentamento não é só nosso. A legião de arrependidos tem crescido demais", disse. O deputado disse Caiado que a bancada irá marcar uma audiência com o procurador geral da República, Cláudio Fontelles, para pedir esclarecimentos sobre a sua declaração condenando as invasões em terras produtivas. Na sua opinião, a declaração de Fontelles preocupa porque pode ser interpretada de forma distorcida, "prestando um desserviço à Nação". Ele explicou que as pessoas, seguindo a interpretação de Fontelles, poderiam achar que é legal a invasão de terras improdutivas mas, observou ele, a avaliação depende de critérios e não pode ser feita pelo invasor. Nesse momento, o presidente do Supremo está reunido com representantes da UDR.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.